Home > Notícias
27/04/2018 17h

ModaInfo une negócios, tendências e causas que estão movimentando o setor

Realizado desde 1993, evento de moda foi marcado por time de especialistas, cases e muita inspiração

Artista sentada no chão com perna cruzada em frente a tela

Como deve ser o futuro da moda? Seria possível pensar em uma estética que rompe com a perfeição e celebra a estranheza? Em provadores de roupas que mapeiam as jornadas de uma peça e identificam as preferências de uma cliente? Em comprar uma calça pela internet e receber na porta de casa em menos de 30 minutos? E em poder usar todo dia uma nova roupa com a facilidade de quem escolhe um filme na Netflix?

Se tudo isso parecer muito moderno ou distante da moda atual, a realidade pode surpreender muita gente. Foi o que mostrou a primeira edição de 2018 do Senac Moda Informação, realizado em 5 de abril, na capital paulista.


O evento de moda, que é promovido desde 1993 pelo Senac São Paulo reuniu um time de especialistas para apresentar ao público algumas dessas possibilidades e tendências que estão transformando o universo fashion e que já estão disponíveis no mercado para serem aproveitadas nesse exato momento.

“O mundo mudou, o futuro da moda é agora, e a ideia é nos prepararmos para essa transformação que está em curso”, afirma Angela Valiera, coach e headhunter em moda que conduziu o evento.

A edição contou com uma programação afiada para estimular os participantes a conhecerem novas referências, desenvolverem a criatividade e ampliarem a bagagem profissional.   

“Voltarei para a empresa cheia de inspiração. O conteúdo foi muito interessante. Pontuou bem a parte do varejo, mas também o lado mais conceitual da moda e do comportamento do consumidor”, conta a estilista Neila Bianchi, que atua à frente de uma marca infantil em Santa Catarina.

Negócios e tecnologias
O dia começou com a apresentação de Daniel Milaré, diretor de varejo da Amaro, marca digital de moda feminina que trabalha com um modelo de negócio diferente do usual. Isso porque ela vende seus produtos apenas pela internet ou nas poucas unidades de guides shops da grife que existem no país.

Os guides shops são lojas conceito que reúnem parte da coleção disponível na plataforma digital. Lá, as clientes podem experimentar as peças e, até mesmo, fechar a compra, mas sem levar as roupas escolhidas, que serão entregues diretamente em casa.

A tecnologia também é uma grande aliada da grife, que possui, por exemplo, uma jornada digitalizada de suas roupas. Com Wi-Fi nos provadores e códigos de barra com transmissores de informações, é possível acompanhar o histórico de consumo de determinada peça ou, ainda, as preferências específicas de cada consumidora.

Milaré contou ao público do evento que a ideia da marca é integrar as vantagens dos canais físicos e dos ambientes virtuais, garantindo atendimento personalizado e comodidade, como a ausência de filas em caixas e provadores.

No entanto, mesmo com tantas possibilidades tecnológicas, apenas 13,6% do mercado de varejo de moda é consumido on-line no Brasil. “Atualmente, o maior mercado da internet é moda e, ainda assim, é muito pouco. Ou seja, olha o tamanho da oportunidade de negócio que a gente tem na mão”, alerta Milaré.

Daniel Funis, do e-commerce de luxo Farfetch, concorda com o grande potencial que o digital ainda tem a oferecer para quem atua com moda.

O diretor da empresa no Brasil relembrou que quando iniciaram a operação no país, em 2011, o consumo on-line de moda ocupava apenas a 23ª posição no ranking do e-commerce, fazendo com que muitas marcas negligenciassem o poder das vendas virtuais.

Tendências e inspirações
As macrotendências estéticas da temporada foram apresentadas por Iza Dezon, consultora de Research & Future Insights da Peclers Paris, agência francesa de previsão de tendências.

Em uma apresentação cheia de inspiração, Iza reuniu uma série de imagens de fotógrafos, artistas, arquitetos, estilistas, maquiadores e, até mesmo, paisagens curiosas ao redor do mundo, que ajudaram o público a mergulhar nesse universo de referências.

“O mundo está muito duro, muito sofrido, muito angustiado. Então, a gente fala mais de empatia, delicadeza, afetividade. A gente tem um olhar mais inclusivo e combativo ao culto da hiperatividade. É importante termos um respiro para exercitar a criatividade e outras coisas que são importantes para gente, que impactam nosso trabalho”, afirma Iza.

Assim, fica em evidência uma estética que foge da perfeição dos filtros e das altas resoluções de imagens, que rompe com as proporções e brinca com as medidas, dando espaço para celebração de pequenas imperfeições, formas e texturas que geram estranheza, tecidos mais confortáveis, maleáveis e com transparência, encontrando na natureza inspirações para criar novas estruturas e tons.



Causas: prática ou apropriação?
O público ainda acompanhou um bate-papo sobre fashionwash com Joyce Prestes, do Think Eva, e Marina Colerato, do Modefinca e Futuramoda.

O termo é aplicado a marcas de moda que apenas se apropriam de discursos politicamente corretos, mas que não realizam ações práticas para causar impactos positivos na sociedade.

“A moda não é só para vender produtos. Eles passam por inúmeros processos que afetam a comunidade. Por isso, estar antenado com a sociedade é crucial para qualquer marca”, diz Marina. 

Como exemplo, elas relembraram ações como da grife italiana Gucci, que doou US$ 500 mil para uma campanha pelo desarmamento norte-americano, ou da fast fashion C&A, que firmou uma parceria com um banco de emprego para estimular a contratação de profissionais transexuais após a campanha com Pabllo Vittar. 

Parcerias e experiências
O evento ainda contou com profissionais que mostraram a força das parcerias para gerar inovação e negócios no setor.

O empreendedor Wolf Menke compartilhou sua experiência à frente da House of All, conjunto de casas temáticas pautadas na economia colaborativa. Entre elas, está a House of Bubbles, que oferece um serviço de empréstimo de roupas, algo semelhante à Netflix.

O público também acompanhou a trajetória do Coletivo Mooc, grupo de produção audiovisual criado por oito jovens negros da periferia de São Paulo que defendem a representatividade na publicidade. Com apenas dois anos de existência, o grupo já tem marcas como Nike e Converse no portfólio de clientes.

Já a estilista Karin Feller contou um pouco de sua jornada, desde a produção artesanal para sua marca própria, passando por parcerias com grifes de Portugal e Japão, até o desafio de assumir a estruturação de uma equipe de estilo na varejista Di Gaspi.

“Minha cara de pau foi o grande diferencial que me proporcionou todas essas oportunidades ao longo da carreira”, brinca Karin. “Um bom profissional precisa saber se reinventar de acordo com as necessidades e estar munido de muita informação para entender e prever os comportamentos e desejos dos consumidores”, afirma a estilista.

Senac Moda Informação
Além das palestras, o público ainda teve a oportunidade de participar de mentorias com especialistas para aprimorar projetos pessoais, assim como conferir uma mostra de fashion films em um espaço com outras referências artísticas.

“O evento acompanhou as mudanças do mundo. A gente vinha de um mundo que adaptava as informações que vinham de fora do país para um mundo no qual começa a se observar tendências em todos os lugares. A ideia é entender o que de fato é relevante para área de moda e o que nós podemos trazer para aumentar o repertório desses profissionais”, afirma Danielle Monteiro Martins, gerente do Senac Lapa Faustolo.


Conheça os cursos na área de moda que o Senac São Paulo oferece.

Leia também:
Karin Feller: Da Moda de Ateliê ao Grande Varejo
#Modainfo 1.18: Sem Filtro, Pós-Humano, Coletivo

Tags: ModaInfo, Senac Lapa Faustolo, Senac Moda Informação, Senac São Paulo, moda criativa, negócios de moda, tecnologia na moda


Últimas notícias

10/12/2019
09/12/2019
09/12/2019
06/12/2019
04/12/2019
02/12/2019
29/11/2019
Férias com Leitura: explore o catálogo das bibliotecas do Senac São Paulo
29/11/2019
Conhecimento territorial da periferia foi foco do Webinar Senac
29/11/2019
Rede de bibliotecas do Senac São Paulo amplia seu acervo de e-books
27/11/2019
Centro Universitário Senac - Águas de São Pedro divulga lista de aprovados para o curso de Cozinheiro
21/11/2019
Cinco títulos do Senac recebem nota máxima do MEC
13/11/2019
Cursos Cozinheiro e Garçom têm novas turmas em 2020
12/11/2019
Como a moda pode ser mais diversa em um mercado em transformação?
12/11/2019
Centro Universitário Senac apresenta o Programa de Parcelamento Estudantil
29/10/2019
Centro Universitário Senac - Águas de São Pedro divulga lista de aprovados para a turma de Cozinheiro
29/10/2019
Centro Universitário Senac abre processo seletivo para professores
24/10/2019
Como pais e filhos podem conversar sobre a escolha de uma profissão do futuro?
22/10/2019
Senac Botucatu celebra 70 anos
21/10/2019
Senac São Paulo conquista pela 18ª vez o prêmio Top of Mind de RH
10/10/2019
Aprendizagem Técnica em Informática será oferecida em mais 5 unidades

Próximos Eventos

Instagram (@senacsaopaulo)