Biblioteca  >  Modateca

Modateca


A Modateca em poucas palavras

Dedicada também à memória da moda, as Modatecas da rede Senac São Paulo foram criadas para complementar o acervo bibliográfico das instituições e concentrar informações sobre a área em diversos formatos.

Atualmente as Modatecas estão localizadas nas unidades do Centro Universitário Senac -  Santo Amaro, Lapa Faustolo, Penha, Ribeirão Preto, Campinas, Bauru e Jundiaí.

Com infraestrutura adequada e materiais diversos, os ambientes atendem as demandas de seus frequentadores, oferecendo acervos para pesquisas, alguns ambientes são em formato de atelier para servir como suporte no processo criativo.

Visita virtual ao lado: Modateca Senac Lapa Faustolo


História da Modateca


O começo de tudo

As Bibliotecas das unidades que oferecem cursos da área de moda contavam com Tecitecas desde outubro de 1993, ação que antecipava a exigência do Ministério da Educação. A Teciteca é um espaço físico composto por fichas técnicas de tecidos, amostras de tecidos, catálogos de tendências, cartelas de cores entre outros materiais do ramo têxtil.

Em 1998 o espaço recebeu uma doação de chapéus da chapeleira Madame Marthe Monios (1953-1993), doados por suas filhas Michelli e Martine, tendo como mediador o estilista José Gayegos, foi assim que se constituiu a Modateca.

Com o intuito de expandir os polos de pesquisas, em 2008 foram criadas as Modatecas Itinerantes, visando atender às demandas em outras unidades do Senac.

Com o desenvolvimento da Modateca, em 2014 parte do acervo do Senac Lapa Faustolo passou a integrar a Modateca do Centro Universitário Senac – Santo Amaro. 

Atualmente a Modateca é um local que uni a composição da Teciteca com os acervos de memória para fins de pesquisas e exposições, materiais e equipamentos para uso colaborativo e atendimento técnico especializado.



O acervo e a Constituição da Modateca

O que antes era estabelecido como Teciteca dentro de uma biblioteca transformou-se, a partir de 1998, em um espaço denominado Modateca, local de memória das roupas e objetos de moda.

O acervo da Teciteca passa por modificações ao receber em 1998 a coleção de chapéus que pertenciam à chapeleira Madame Marthe Monios (1953-1993), doados por suas filhas Michelli e Martine, tendo como mediador da doação o estilista José Gayegos. A coleção se destaca pela originalidade dos chapéus de alta costura, confeccionados e colecionados pela própria chapeleira, e se configura como objeto de estudo da cultura material de toda uma época.

A partir de 2004, parte do acervo do Senac Faustolo passa a integrar a Modateca do Centro Universitário Senac - Santo Amaro. Com o intuito de expandir os polos de pesquisas, em 2008 foram criadas as Modatecas itinerantes, visando atender à demanda em outras localidades da cidade e do estado de São Paulo.



A Modateca do Campus Santo Amaro

A Modateca do Centro Universitário Senac – Santo Amaro desde sua criação é um espaço de referência da sua área, tanto para a rede de unidades do Senac São Paulo como também para a rede nacional, entre outras instituições. Além de promover parcerias em exposições com museus brasileiros e internacionais.

Um dos projetos mais importantes do espaço é o Acervo de Moda Senac que é composto pelas coleções dos estilistas Fernanda Yamamoto, Ugo Castellana e Mário Queiroz.

Além disso o espaço possui peças dos designers João Pimenta, José Gayegos, Alexandre Herchcovitch, Gloria Coelho, Emilio Pucci, Paco Rabanne e Clodovil Hernandes. Um acervo de chapéus da chapeleira Madame Marthe Monios, a coleção de Ecobags criadas a partir da temática moda e meio ambiente, moldes e peças do estilista Walter Rodrigues.

O acervo também conta com a produção de trabalhos de conclusão de curso de alunos do Bacharelado de Design de Moda, entre eles alguns projetos integradores inspirados na atriz Audrey Hepburn, no ilustrador Alceu Penna, no estilista Pierre Cardin e no Centenário da Imigração Japonesa.

A Modateca cumpri o seu papel na preservação da memória da moda brasileira, o qual é fortemente representado no trabalho de conservação do acervo de figurinos do artista Ney Matogrosso.

Na contribuição para atividades educacionais, o espaço realizada oficinas, encontros e visitas técnicas para a comunidade interna e externa do Senac.


Convervação e Restauro

Dada a necessidade da conservação dos materiais têxteis, o espaço ao adquirir doações realiza um trabalho técnico que inclui o recebimento e análise das peças. No recebimento é observado o cuidado como as peças serão acondicionadas e transportadas. Com as peças em mãos é analisado o seu estado, para que sejam feitos pequenos reparos e a confecção de fichas técnicas do objeto para fins de catalogação e acompanhamento da história da peça. 

O ambiente que as peças são acondicionadas é apropriado para salvaguardar esses materiais de qualquer dano temporal, por esta razão a Modateca possui um espaço climatizado e monitorado para a sua preservação.

Convervação e Restauro: Resultados e Exposição Cápsula do Tempo

A Modateca por ser um espaço que desenvolve um trabalho de conservação de artigos têxteis para fim de preservação de suas histórias, em novembro de 2010 o setor recebeu uma importante doação para compor o seu acervo que foi a coleção de figurinos do artista Ney Matogrosso. 

Após dois anos de doação e todos os processos de tratamento e acondicionamento dessas peças, foram estruturados um projeto e um planejamento para a apresentar este acervo ao público.

A exposição “Cápsula do Tempo: identidade e ruptura no vestir de Ney Matogrosso”, que teve a curadoria de Milton Cunha composta por 24 looks, aconteceu em 16 de agosto de 2012 a 31 de janeiro de 2013 na biblioteca no Centro Universitário Senac – Santo Amaro.

Para integrar a exposição foi realizada a palestra “Preservando Memórias” em 16 de agosto de 2012, com o próprio Ney Matogrosso falando para o público sobre as motivações da doação e da sua relação com os figurinos – que atualmente podem ser consultados para pesquisa mediante agendamento na Modateca do Centro Universitário Senac – Santo Amaro. 

Ao longo do ano de 2013, a exposição percorreu diversas cidades do interior e da capital do estado de São Paulo e do Rio de Janeiro. Um figurino em especial, do show Matogrosso (1982), foi exposto em museus como: Museu Reino Sopia, na Espanha, e Museu de Arte de Lima, no Peru.

A exposição nesse formato de cápsula encerrou no ano de 2014 e atualmente acontece em versão reduzida composta por 10 looks nomeada como Acervo de Moda Senac: Ney Matogrosso.