Pós-Graduação

Gestão de Projetos Sociais no Território

Especializar profissionais que atuam ou desejam atuar no campo da gestão social, potencializando a capacidade de intervenção por meio de projetos sociais de forma colaborativa e participativa, respeitando as potencialidades de cada território e as diversidades socioculturais para fortalecer a cidadania, justiça e participação social.

Carga horária: 366 horas

As cidades ganham novas centralidades, não somente nos debates, mas também nas políticas, programas e projetos sociais. Destaca-se, por exemplo, o Estatuto da Cidade (2001) e os planos diretores participativos e a Política Nacional de Assistência Social (2004), que instituiu um Sistema Único de Assistência Social - SUAS.

Tais conquistas, dentre outras, no campo dos direitos sociais, representaram significativos avanços na direção do direito à cidade no Brasil, porém, ainda se mostram insuficientes diante dos desafios concretos e cotidianos que se apresentam nas 5.570 cidades brasileiras e seus múltiplos e diversos territórios. Ao mesmo tempo, tais avanços convivem com a multiplicidade de iniciativas da sociedade civil, que marcam os anos 1990/2000, compondo o chamado terceiro setor, em que se destacam desde as tradicionais formas de filantropia, bem como inovações de gestão do campo social, incluindo aqui as práticas empresariais de responsabilidade social, de investimento social privado (YAZBEK,1995).

Trata-se, na análise, de uma refilantropização da questão social, e que ainda demanda ser melhor decifrada.
Porém, permanecem as desigualdades socioterritoriais a serem decodificadas entre as cidades e no interior de cada uma delas. A lógica da desigualdade persiste e se reproduz nos territórios concretos das cidades. Um País de dimensão continental, marcado pelas desigualdades sociais e, ao mesmo tempo, apresentando diversidades socioculturais importantes têm exigido respostas de gestão social igualmente diversas e não homogeneizadoras.

É neste cenário desigual, múltiplo e diverso das cidades brasileiras que os projetos sociais se encontram inseridos. Tais desafios marcam o cotidiano no campo da gestão social e gestores sociais, inspirando estratégias centradas na intersetorialidade para o enfrentamento da complexidade presente na arena social onde múltiplos atores se conectam com o sentido público da ação.

Em meio a este movimento, novas regulações entram em cena, como o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC), aprovado em 20142, e em pleno processo de implementação, que se propõe a modernizar as relações do poder público com as Organizações da Sociedade Civil (OSCs), o que impacta o universo dos projetos sociais.

Diante desse contexto, a academia vem se posicionando criticamente e apresentando reflexões para o enfrentamento de questões presentes nos territórios, na perspectiva de construir um conhecimento que colabore com uma prática profissional que se contraponha a essa forte tendência.
Assim, os fundamentos epistemológicos que sustentam a Especialização em Gestão de Projetos Sociais no Território, e dão conta dessa diversidade de saberes, estão nas áreas gerais das Ciências Sociais, Negócios e Direitos e Saúde e Bem-estar Social, construindo olhares, interdisciplinares, ou seja, a especialização combina diferentes áreas de formação, visando à atuação profissional ampliada, e em diversos tipos de organizações. Na área de Ciências Sociais, Negócios e Direitos, destacam-se as áreas específicas de Ciências Sociais e Comportamentais; Sociologia e Estudos Culturais; Economia; Gerenciamento e Administração; e Direito. Na área de Saúde e Bem-Estar Social, sobressai-se a área específica de Serviço Social que está relacionada com a necessidade de comunidades, grupos específicos e indivíduos, em termos de bem-estar e proteção, e com as maneiras adequadas de atender a essas necessidades, principalmente as políticas e práticas sociais.

Sendo assim, os conhecimentos relativos aos contextos sociocultural, político e econômico são correlacionados nessas áreas do conhecimento, principalmente quanto à compreensão dos fatores históricos, socioeconômicos e culturais constituintes do cenário em que se engendram os projetos sociais, criando bases sólidas para a atuação profissional do egresso.


Destina-se a profissionais portadores de diploma de graduação em qualquer área do conhecimento, preferencialmente em Ciências Sociais, Negócios e Direito.
Módulo I: DIAGNÓSTICO DE PROJETOS SOCIAIS E PLANEJAMENTO I
Propõe a elaboração de diagnóstico do contexto socioterritorial que justifica a implantação do projeto social, por meio da contextualização temática do projeto social, que corresponde a fase 1 de construção do Trabalho de Conclusão de Curso, com a finalidade de analisar o contexto sociocultural, político, econômico e ambiental. Identifica e debate questões como: direitos humanos e sociais, acesso à cidade e à cidadania, política pública e intersetorialidade, bem como a articulação em redes, com a finalidade de intervir na realidade social. Indica a construção coletiva de cenários da contemporaneidade, articulando fatores conjunturais a processos sócio-históricos e econômicos, que marcam a formação da sociedade brasileira, e que são determinantes para justificar a relevância de projetos sociais. Apresenta as temáticas sociopolíticas, socioculturais, bem como socioambientais, dentre as quais se destacam: experiências e práticas de luta e mobilização social nas cidades; influências e perspectivas sobre o Estado e os direitos do cidadão em tempos de retrocesso da democracia; compromisso político com as questões sociais, a ética e a transparência em tempos de judicialização; potencialidades e limitações das relações entre as organizações sociais, setor governamental e setor privado corporativo nos processos de intervenção social em tempos de financeirização da economia; práticas de terceirização e privatização de políticas públicas; práticas sociais e suas relações com as diversidades socioculturais e especificidades locais em tempos de globalização; questões do desenvolvimento territorial integrado e sustentável e suas interfaces com as políticas públicas; conceitos do esgotamento dos recursos naturais e o aquecimento global; consumo e estilo de vida na sociedade contemporânea.
Módulo II: ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS E PLANEJAMENTO II
Propõe a elaboração da fase 2 do Trabalho de Conclusão de Curso, considerando as técnicas de pesquisa e metodologia de projetos participativos, discutindo coletivamente os indicadores sociais no Brasil, enquanto processo de construção social, com a finalidade de estabelecer relações com a análise do território de intervenção do projeto. Pesquisa projetos de referência que dialogam com o projeto social proposto. Problematiza a missão, visão, objetivos e estratégias, valores, princípios e práticas das organizações as quais o projeto social estará vinculado. Analisa e interpreta a legislação relativa a projetos de intervenção social. Propõe a elaboração e a discussão de instrumentos de monitoramento e avaliação de projetos. Problematiza a captação de recursos para organizações sem fins lucrativos e seus projetos. Discute as parcerias com alternativas inovadoras de desenvolvimento e otimização de recursos. Planeja estratégias de mobilização e engajamento de pessoas.
Módulo III: GESTÃO DE PROJETOS SOCIAIS
Propõe a consolidação do Trabalho de Conclusão de Curso integrando os conhecimentos das etapas anteriores do curso e as técnicas de pesquisa e metodologia de projetos constituindo a fase 3. Discute o conceito de gestão, gestão social, gestão de projetos sociais, gestão participativa, bem como o papel e o perfil do gestor nesse contexto. Analisa as questões éticas envolvidas no exercício do seu trabalho; estratégias para a prática de mediação, construção coletiva do conhecimento e compartilhamento de informações. Identifica as partes interessadas com os quais os projetos sociais se relacionam. Estabelece formas de participação no projeto; propõe a comunicação de resultados e presta contas a todas as partes interessadas. Avalia os projetos a partir da perspectiva do seu potencial de impacto, relevância social, adesão da população e gestão participativa. Consolida indicadores e instrumentos para analisar os resultados do projeto.
TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO
Orienta metodológica, científica e tecnologicamente para o desenvolvimento do Trabalho de Conclusão do Curso, levando o aluno a exercitar as etapas do processo de desenvolvimento do trabalho de natureza científica e as normas técnicas.
 
   TOTAL
DIAGNÓSTICO DE PROJETOS SOCIAIS E PLANEJAMENTO I
Diagnosticar e planejar projetos sociais, por meio de análises do contexto sociocultural, político, econômico e ambiental, na perspectiva dos direitos humanos e sociais, acesso à cidade e cidadania, política pública e intersetorialidade, bem como a articulação em redes com a finalidade de intervir na realidade social.
ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS E PLANEJAMENTO II
Estruturar projetos sociais viáveis, por meio de elementos metodológicos e ferramentais da área, com base em indicadores sociais, mobilização de pessoas e recursos, avaliação de projetos e marco regulatório especifico, para intervir no contexto territorial específico.
GESTÃO DE PROJETOS SOCIAIS
Desenvolver estratégias de gestão integrada do projeto social, participativa e territorializada, por meio da articulação em redes, gestão de marketing, indicadores sociais, aprendizagem colaborativa, garantindo a comunicação de resultados e da prestação de contas, para a melhoria da qualidade da gestão de projetos.
 
   TOTAL
Proposta metodológica:
O modelo educacional está pautado no desenvolvimento de competências, em que a aprendizagem faz parte do contexto da vivência dos processos profissionais. O curso está organizado em módulos permeados por um conteúdo que integra temas e provoca a reflexão crítica dos alunos, resultando no desenvolvimento e aprofundamento contínuo do profissional sobre sua prática.

O processo de ensino-aprendizagem está fundamentado na autonomia do aluno. Assim, pressupõe o envolvimento com estudos prévios, realização de pesquisas, leituras, trabalhos individuais e em grupo, atividades em bibliotecas, definidas no plano de ensino e orientadas pelo professor, que vão além do tempo e do espaço da escola como forma de preparação e complementação.

Trabalho de conclusão de curso (TCC): O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é uma das exigências para a conclusão do curso de pós-graduação Lato Sensu. Para o desenvolvimento do TCC, o aluno deve conhecer e cumprir as regras, procedimentos e prazos específicos disciplinados no Regulamento da Pós-graduação Lato Sensu.

Módulos:
- Análise de contexto e projetos sociais
- Estruturação de projetos sociais
- Gestão de projetos sociais
Pós-graduação lato sensu - Especialização em Gestão de Projetos Sociais no Território (certificado expedido pelo Centro Universitário Senac).

Inscrições abertas de:  1º de outubro de 2018 a 18 de março de 2019*.

*Verificar datas das inscrições nas localidades, conforme abaixo:






Taxa de inscrição:  RS 50,00

Veja as etapas do processo seletivo de pós-graduação
Para brasileiros:
- 1 cópia (frente e verso) e o original do diploma de graduação devidamente registrado segundo as normas do MEC;
- Obs. 1: diploma emitido por instituição estrangeira deve ser revalidado nos termos da legislação brasileira e da portaria de autorização ou reconhecimento do curso expedida pelo MEC;
- Obs. 2: o diploma de graduação pode ser provisoriamente substituído por atestado ou declaração que comprove que o candidato concluiu o curso e colou grau, desde que mencione a data da colação;
- 1 cópia (frente e verso) e o original da carteira de identidade (RG);
- 1 cópia (frente e verso) e o original do Cadastro de Pessoa Física (CPF);
- 1 foto 3x4 recente.

Selecione a unidade de seu interesse e faça a inscrição on-line

Quer ser informado sobre novas turmas?
 

Outras informações sobre este curso