Home > Notícias
10/10/2014 10h17min

Como proporcionar a integração de pessoas com e sem deficiência?

Oficina no Senac Consolação contempla o tema da mediação no processo de aprendizagem

Imagem da docente Teresa Pereira palestrando

A psicopedagoga especialista em deficiência intelectual Teresa Pereira explica o tema para os participantes

"Interação é primordial", disse a psicopedagoga especialista em deficiência intelectual, Teresa Pereira, durante a oficina Como Proporcionar a Integração de Pessoas com e sem Deficiência, em 8 de outubro, no Senac Consolação.

A profissional, formada no Programa de Enriquecimento Instrumental (PEI) pelo Instituto Feuertein e docente do Senac, reforçou a importância da interação e da mediação nos processos de aprendizagem. Seus conceitos têm como base a Teoria da Modificabilidade Cognitiva, de Reuven Feuerstein, a qual pressupõe que todos podem se desenvolver apesar do nível ou grau de dificuldade, desde que haja interação e mediação entre quem ensina e quem aprende.

Essa metodologia pode ser incorporada em diversos programas de treinamento e desenvolvimento e customizada de acordo com as competências a serem edificadas nas pessoas com ou sem deficiência. De acordo com Teresa, o primeiro passo nesse processo é estabelecer um vínculo de confiança entre mediador e mediado.

A teoria evidencia ainda a influência dos estímulos presentes nos ambientes. "É preciso alto nível de estimulação (cores, formas, figuras e ferramentas) associado a um desafio (fazer a pessoa pensar, sem dar a resposta pronta) e a presença de um mediador (ser humano interagindo), fornecendo alternativas para alcançar o objetivo. Isso resulta em um elevado grau de aprimoramento e de modificabilidade e gera um número altíssimo de conexões (sinapses no cérebro). Por exemplo, na escola", explica Teresa.

A docente também conceitua que "quanto maior a flexibilidade mental, maior a capacidade de criar estratégias. Se uma tarefa vai ser fácil, depende da familiaridade que a pessoa tem com o assunto, das suas experiências, não é questão de inteligência, pois ela é inata. O que é determinante é a ausência de interações mediadas. Isso para qualquer pessoa, pois esse encontro transcende a questão da deficiência".

Outro conceito explicado pela especialista foi a Síndrome de Privação Cultural, provocada pela ausência de interações com outro ser humano que permitam desenvolver suas funções cognitivas e que acarretam em consequências como baixas aspirações escolares e profissionais, baixa autoestima e sensação de não pertencimento.

Na ocasião, houve um exercício envolvendo desenho, transcrição e memória, para explicar na prática como funciona uma interação mediada. Duas pessoas com deficiência visual que estavam na plateia realizaram a atividade por meio da audiodescrição, mostrando as diversas possibilidades de aprendizado mediado. Aprendizado esse que, segundo a palestrante, tem que criar significados que transcendam àquela situação e que sejam incorporados em outros contextos da vida.

"Um dos pressupostos da teoria de Feuertein é que todo ser humano é modificável, ou seja, todos podem aprender. Desde que sejam convidados a pensar. O ser humano é um ser social, que vive na coletividade. Mas, tem estilos individuais. É preciso saber lidar com a diversidade", finaliza Teresa.

Além da audiodescrição, o evento dispôs de duas tradutoras de Libras (Língua Brasileira de Sinais). Essa ação integra a Semana Senac de Inclusão e Diversidade, que contou também com palestras e uma mostra no Senac Consolação. Intitulada O sorriso da borboleta, essa exposição sensorial do artista Ca Cau buscou despertar sensações nos participantes que, de olhos vendados, rompiam paradigmas por meio da música, da pintura, de vídeos e cheiros.

O evento
Com o tema Nossas Relações com a Inclusão, o Senac São Paulo promove mais uma edição da Semana Senac de Inclusão e Diversidade, em diversas unidades da rede na capital e no interior.

A ideia é promover momentos de sensibilização e diálogo entre vários atores sociais acerca das capacidades, vulnerabilidades e (não) oportunidades apresentadas pelos diferentes grupos sociais minoritários. O objetivo é influenciar na construção de valores e atitudes favoráveis a uma sociedade possível para todos, pautada na convivência harmoniosa e no respeito às diferenças.

Verifique as outras atividades da Semana Senac de Inclusão e Diversidade.

Notícias relacionadas:
- Inteligência se aprende?


Tags: Desenvolvimento social, Semana Senac de Inclusão e Diversidade, Senac Consolação, aprendizagem, inclusão, mediação, senac sp


Últimas notícias

23/04/2019
17/04/2019
17/04/2019
17/04/2019
16/04/2019
15/04/2019
Alunos integram moda e arte em evento sobre padrões de beleza
09/04/2019
Centro Universitário Senac apresenta o Programa de Parcelamento Estudantil
08/04/2019
Senac está com inscrições abertas para cursos técnicos EAD
02/04/2019
Formação gratuita em Gestão de Saúde está com inscrições abertas
01/04/2019
Turmas realizam ação para conscientizar sobre prevenção a DSTs
01/04/2019
No ritmo do Carnaval, alunos promovem eventos com diferentes inspirações
29/03/2019
Alunos mobilizam comunidade e transformam terreno em praça com mirante
29/03/2019
Meio ambiente: saiba como drones podem ajudar especialistas na área
26/03/2019
Evento aborda as perspectivas e os desafios do profissional do futuro
26/03/2019
Aprendizes promovem exposição sobre direitos humanos
26/03/2019
Alunos orientam população contra incêndios em Paranapiacaba
26/03/2019
Ações fortalecem turismo e produções locais na região de Sorocaba
26/03/2019
Centro Universitário Senac divulga resultado do processo seletivo para professores
26/03/2019
Centro Universitário Senac - Águas de São Pedro divulga lista de aprovados para os cursos de Cozinheiro e Garçom
20/03/2019
Turmas vivenciam rotina de agência de comunicação

Próximos Eventos

Instagram (@senacsaopaulo)