Pós-Graduação

Ergonomia

Formato: presencial
Objetivo
Especializar profissionais das áreas relacionadas à ergonomia para atuarem em projetos e desenvolverem pesquisas sobre o tema, contribuindo para a melhoria das condições de trabalho e para a prevenção de doenças ocupacionais e de acidentes de trabalho.
Diferenciais
O curso de pós-graduação em Ergonomia do Senac é resultado do reconhecimento da instituição como referência na área, que desde 2002 vem promovendo seminários e fóruns de debates. O curso foi reformulado para se adequar ao programa de competências de um especialista de Ergonomia estabelecidas pela Norma ERG BR 1004 da Associação Brasileira de Ergonomia (Abergo). Com isso, o curso de pós-graduação em Ergonomia do Centro Universitário Senac foi acreditado pela Abergo.
Sua proposta pedagógica possibilita a vivência de diversas situações reais de trabalho, por meio de visitas técnicas e das atividades práticas de campo orientadas por profissionais experientes, focalizando a aplicabilidade da ergonomia em cenários distintos.

Carga horária: 462 horas

Aplicação
O profissional com esta especialização será capaz de atender aos diversos setores de uma organização, no que diz respeito à saúde e ao bem-estar do trabalhador. Entre alguns exemplos, é de sua competência implantar novos processos produtivos, alocar trabalhadores com limitações funcionais, projetar sistemas operacionais, atuar em projetos para desenvolvimento de máquinas, equipamentos, ferramentas, meios de transporte e movimentação de materiais e produtos de uso comercial.

Panorama de mercado
A ergonomia desponta como área de atuação profissional promissora, dado seu campo de estudo e aplicação, que vem se ampliando, principalmente por sua contribuição nos estudos relacionados à saúde do trabalhador.

No Brasil, a ergonomia vem ganhando notoriedade devido às exigências de uma Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego, a NR-17, que visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Além de a ergonomia estar ligada às questões da saúde do trabalhador, também está relacionada às áreas de projeto e design de sistemas produtivos, postos de trabalho e produtos. Está mais presente no segmento industrial, mas percebe-se uma ampliação de sua aplicabilidade também no setor de serviços, como transporte, saúde, educação, bens de consumo, financeiro etc.

A ergonomia, como ciência interdisciplinar, orientada para a transformação da organização, métodos, hábitos, ambientes e relações de trabalho, além dos aspectos tecnológicos, busca desenvolver estudos significativos para a transformação das situações de trabalho, saúde e produtividade. Para sua aplicação, são necessários profissionais competentes, possuidores de conhecimentos técnicos, habilidades e atitudes para abordar e promover mudanças, dentro de contextos de trabalho permeados por problemas cada vez mais complexos.

A importância de estudar ergonomia justifica-se, portanto, pela necessidade de as organizações produzirem dentro dos princípios da sustentabilidade, bem como estabelecerem programas de melhoria contínua.
Portadores de diploma de graduação.
Obs: Não são aceitos certificados de cursos sequenciais.

Portadores de diploma de graduação que tenham interesse em atuar com ergonomia. Principalmente graduados nas áreas da saúde, engenharias, arquitetura e design.
HISTÓRIA DO TRABALHO, DA ERGONOMIA E FUNDAMENTOS DOS MÉTODOS DE ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO
Situa a ergonomia no contexto das ciências do trabalho e apresenta a história e evolução do trabalho e da ergonomia, com suas correntes e seus métodos, bem como a finalidade da ação ergonômica e o âmbito de aplicação. Aborda os fundamentos da ergonomia da atividade, considerando os conceitos utilizados no método da Análise Ergonômica do Trabalho (AET), tais como: o trabalho prescrito, o trabalho real, o modelo integrador da atividade de trabalho, a carga e a regulação no trabalho, visando fornecer uma visão sistêmica da abordagem da AET.
FISIOLOGIA OCUPACIONAL
Apresenta e analisa o funcionamento do corpo humano (sistema respiratório, sistema digestivo, sistema circulatório e musculoesqueléticos). Apresenta as bases clínicas e fisiológicas dos distúrbios musculoesqueléticos relacionados ao trabalho. Explora, do ponto de vista fisiológico, o nexo causal entre a exposição a fatores de risco (como frio, calor, vibração, posturas inadequadas, uso de força, compressão, repetição) e a sobrecarga gerada sobre o trabalhador. Aborda as técnicas básicas de monitoramento e avaliação de parâmetros fisiológicos durante a atividade de trabalho (instrumentos, protocolos e escalas); riscos, patologias, avaliação, normas e recomendações para a saúde do trabalhador, com o objetivo de estabelecer a relação entre saúde e trabalho.
CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA
Apresenta os movimentos e os conceitos de antropometria aplicados à concepção dos postos de trabalho. Apresenta conceitos relacionados à biomecânica, tais como, posturas do trabalho, trabalho estático e dinâmico, levantamento, carregamento e aplicação de força, bem como as características das ferramentas manuais (pega, peso, força e torque, contato mecânico). Aborda as técnicas básicas de monitoramento e avaliação de parâmetros cinesiológicos e biomecânicos durante a atividade de trabalho (instrumentos, protocolos e escalas); riscos, patologias, avaliação, normas e recomendações para a saúde do trabalhador, com a finalidade de estabelecer a relação entre saúde e trabalho.
ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO: DEMANDA E TAREFA
Caracteriza a intervenção ergonômica e define passos para sua realização por meio da análise do sistema produtivo e do contexto, organização da produção e do trabalho, caracterização da população de trabalhadores, análise da tarefa prescrita e das tarefas reais, e indicadores de saúde, segurança, produção e produtividade, para determinar a demanda e a tarefa.
METODOLOGIA DE PESQUISA (EAD)
Apresenta os fundamentos teóricos e os instrumentais técnicos para o desenvolvimento das diferentes formas de pesquisa qualitativa e quantitativa em ergonomia. Proporciona condições para a definição do tema, elaboração da questão de pesquisa e a adequada escolha do referencial metodológico. Oportuniza o exercício de organização de textos científicos conforme as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E INTERNACIONAL APLICADA À ERGONOMIA
Apresenta os fundamentos da legislação internacional e brasileira, relacionadas às questões da ergonomia como a Norma Regulamentadora 17 (NR-17), incluindo os anexos, e as demais legislações correlatas, interpretando os capítulos da Consolidação da Leis Trabalhistas (CLT) que tenham impacto sobre as questões ergonômicas. Apresenta as fontes do direito brasileiro, os princípios do direito trabalhista, a hierarquia das leis, e a legislação trabalhista e previdenciária vigente no País. Aborda o arcabouço conceitual e a prática dos processos trabalhistas envolvendo o tema de acidentes e saúde do trabalhador.
ERGONOMIA COGNITIVA E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO
Aborda a influência da organização do trabalho sobre o aspecto mental do trabalhador, o estresse e o transtorno mental. Os princípios gerais da ergonomia cognitiva na análise dos sistemas homem-máquina, como os processos sensoriais e cognitivos, os processos de tomada de decisão, atenção e vigilância. Situa a ergonomia cognitiva a seus campos conexos, em particular a psicologia e a linguística. Aborda as características das atividades mentais: conceito de competência individual e coletiva, de representação mental e de aprendizagem em situação de ação. Discute o erro, a confiabilidade humana e segurança, assim como a resiliência dos Sistemas Técnicos.
VARIÁVEIS AMBIENTAIS E A ERGONOMIA
Identifica e conceitua a influência das variáveis ambientais no trabalho humano, relacionando aos métodos e técnicas das medidas de variáveis ambientais utilizadas nos estudos ergonômicos com as medidas dos fatores ambientais: instrumentação, protocolos de medição para avaliação de parâmetros ambientais (ruídos, químicos, iluminação, temperatura e vibração), visando planejar um ambiente adequado à saúde e bem-estar do trabalhador, utilizando-se de indicadores de saúde, segurança e higiene do trabalho.
USABILIDADE, INTERFACES E DISPOSITIVOS
Apresenta o conceito de usabilidade e sua relação com a ergonomia, e conceitos de Interfaces homem-máquina, bem como os principais métodos e critérios para a avaliação da qualidade das interfaces e dispositivos.
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E DE UNIDADES PRODUTIVAS
Apresenta os diferentes aspectos da organização do trabalho, por meio da discussão dos modelos de racionalidade produtiva (Taylorismo/Fordismo, modelo ócio-técnico/modelo japonês). Discute as novas formas de organização do trabalho, para pontuar a influência das novas tecnologias e sistemas produtivos e seus impactos sobre a produtividade, eficiência e saúde dos trabalhadores. Fornece subsídios para o desenvolvimento de projeto de unidade produtiva (industrial ou serviços), utilizando metodologia e técnicas de: projeto de fábrica, arranjo físico (layout), organização do trabalho, organização da produção, simulação de sistemas, ergonomia e segurança do trabalho.
SAÚDE E TRABALHO: SABERES E DESAFIOS
Aborda os conceitos de saúde e trabalho sob o ponto de vista da ergonomia. Discute algumas doenças ocupacionais (Lesões por Esforço Repetitivo/Distúrbios Osteomusculares relacionados ao Trabalho, LER/DORT e transtornos mentais, por exemplo) e a relação com o conteúdo do trabalho, destacando-se os processos de comunicação, cooperação e o trabalho coletivo, de ações e decisões, com a finalidade de analisar como a organização do trabalho pode gerar o adoecimento. Discute como a Ergonomia da Atividade pode contribuir no processo de retorno ao trabalho da pessoa afastado por acidente/doença relacionada ao trabalho e a inclusão da pessoa com deficiência (PCD).
PROJETO DE POSTOS DE TRABALHO
Aborda os conceitos analíticos de metodologias de projeto, apresentando os conceitos sobre o projeto de postos de trabalho e as principais técnicas utilizadas na análise, como simulação, modelagem e a proposição de soluções. Apresenta uma visão geral acerca de conceitos de design, noções de desenho técnico, diferentes métodos e técnicas aplicadas na atividade projetual, possibilitando a reconstrução da atividade futura.
ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO: ATIVIDADE, DIAGNÓSTICO E RECOMENDAÇÕES
Aborda a análise da atividade a partir da caracterização das ações dos trabalhadores, dos dispositivos, interfaces, sinais e comandos, as exigências biomecânicas, cognitivas e psíquicas do trabalho, por meio das técnicas e ferramentas para a análise da atividade, como: observações, entrevistas e reconstrução do curso da ação em auto confrontação. Discute a elaboração do diagnóstico ergonômico, as técnicas de documentação e registro, e propostas que possibilitam a transformação da situação de trabalho por meio da validação do modelo operante para a situação, soluções e prognósticos e validação do plano de ação, bem como da definição do modelo de intervenção na empresa.
ATUAÇÃO PROFISSIONAL EM ERGONOMIA
Apresenta os elementos epistemológicos e os princípios deontológicos da profissão, para fundamentar a ergonomia e mostrar o seu âmbito de atuação. Aborda os sistemas de gestão da qualidade e segurança no trabalho nas organizações e suas interfaces com a ergonomia. Apresenta modelos de gestão da ergonomia abordando de forma sistêmica sua implementação e avaliação de sua eficácia dentro dos princípios do ciclo do PDCA. Discute a análise ergonômica de acordo com a NR-17 e o seu Manual de aplicação.
ATIVIDADES PRÁTICAS DE CAMPO
Realiza intervenção em ergonomia, envolvendo as fases de identificação da demanda e tarefa, análise da atividade, diagnóstico e recomendações, por meio da utilização de metodologias da análise ergonômica, visando fornecer ao aluno uma experiência prática do conhecimento aprendido nos componentes curriculares.
TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO
Orienta metodológica, científica e tecnologicamente para o desenvolvimento do Trabalho de Conclusão do Curso, levando o aluno a exercitar as etapas do processo de desenvolvimento do trabalho de natureza científica e as normas técnicas.
 
   TOTAL
















 
   TOTAL




















 
   TOTAL




















 
   TOTAL
Proposta metodológica:
A metodologia é ativa, colocando o aluno em contato com a realidade do mercado a partir, principalmente, de estudos de caso, pesquisas, análises de problemas e visitas técnicas a empresas. Essas experiências permitem que o aluno conheça a prática da ergonomia nas organizações, em atendimento a políticas, estratégias, tecnologias e processos atualizados.
Seminários de atualização com especialistas e profissionais experientes completam os conhecimentos necessários. Valoriza-se, sobretudo, a pesquisa para construção e geração de novos conhecimentos. A aplicação dos conhecimentos a situações práticas é ainda enriquecida pela experiência do corpo docente. Parte da carga horária do curso é desenvolvida à distância, no ambiente virtual de aprendizagem blackboard.
Pós-graduação (lato sensu) - Especialização em Ergonomia (o certificado será fornecido pelo Centro Universitário Senac).

Taxa de inscrição:  R$ 50,00

Veja as etapas do processo seletivo de pós-graduação
Para candidatos brasileiros:
- 1 cópia (frente e verso), e o original do diploma de graduação devidamente registrado segundo as normas do MEC (Certificado de curso sequencial não corresponde a diploma de graduação nem permite matrícula em cursos de especialização ou cursos de pós-graduação stricto sensu). O diploma de graduação poderá ser provisoriamente substituído por atestado ou declaração que comprove que o candidato concluiu o curso e colou grau, mencionando a data em que a colação ocorreu. Diplomas emitidos por instituições estrangeiras devem ser revalidados nos termos da legislação brasileira (o diploma de graduação pode ser provisoriamente substituído por atestado ou declaração que comprove que o candidato concluiu o curso e colou grau, mencionando a data da colação), além da portaria de autorização ou reconhecimento do curso expedida pelo MEC;
- 1 cópia (frente e verso) da carteira de identidade (RG);
- 1 cópia (frente e verso) do Cadastro de Pessoa Física (CPF);
- 1 foto 3x4 recente.

Para candidatos estrangeiros residentes no Brasil:
- 1 cópia autenticada do diploma de graduação (com autorização consular e tradução juramentada, exceto se estiver em língua espanhola);
- 1 cópia da Carteira de Identidade de Estrangeiro (RNE) e CPF;
- 1 foto 3x4 recente.

Para candidatos estrangeiros não-residentes no Brasil:
- 1 cópia autenticada do diploma de graduação (com autorização consular e tradução juramentada, exceto se estiver em língua espanhola);
- 1 cópia do passaporte e do visto de permanência no país;
- 1 cópia de plano de seguro que garanta a cobertura de despesas médico-hospitalares e de repatriação;
- Declaração de proficiência em língua portuguesa, assinada por professor habilitado;
- 1 foto 3x4 recente.

Selecione a unidade de seu interesse e faça a inscrição on-line

Quer ser informado sobre novas turmas?
 

Outras informações sobre este curso

Conheça os outros cursos
ligados à área:
Tags
pós-graduação em ergonomia, especialização em ergonomia, curso ergonomia, prevenção de doenças ocupacionais, prevenção de acidentes de trabalho, saúde do trabalhador, design de sistemas produtivos, design de workstation, SST, NR-17, Norma ERG BR 1004, fisiologia ocupacional, Senac.